Obaluaiê Oba – Rei, Aiê – Céu na Terra

Rei da Vida que existe na Terra

Aqui não se pode deixar de fazer referência e reverência ao nosso querido Pai de Santo cujo Orixá é Obaluaiê. 

Conhecido como o médico dos pobres, Pai Obaluaiê (novo) é o, Sr. das formas, das passagens, das transformações, da transmutação, da doença e consequentemente da cura espiritual e física, mas que se desdobra com o nome de Omulu (Velho) quando age na esquerda. Para muitos esses nomes são intercambiaveis referentes a um mesmo arquétipo e, correspondentemente, uma mesma divindade. Mas na realidade, há de se manter uma certa distância entre os dois termos, uma vez que representam tipos diferentes (dualidades) do mesmo Orixá.

Assim como sua mãe Nanã, tem profunda relação com a morte, por isso é tido como um Orixá sombrio, e temido por muitos, pois é tido entre os iorubanos como severo e terrível, caso não seja devidamente cultuado, porém, é Pai bondoso, belo, amoroso e fraternal para aqueles que se tornam merecedores, através de gestos humildes, honestos e leais.

Faz parte da essência deste amado Orixá o poder de causar a doença como o de possibilitar a cura do mesmo mal que criou. O Senhor da Vida é também Guardião das Almas que ainda não se libertaram da matéria

Em suas manifestações aparece sempre coberto da cabeça aos pés de palha da costa (Xaraô), em algumas lendas para esconder as marcas da varíola, em outras, já curado não é permitido a ninguém olha-lo de frente por ser o próprio brilho do sol. Seu símbolo é o Xaxará – um feixe de ramos de palmeira enfeitado com búzios.

É um Orixá que exige muito respeito e obediência, pois quando afrontado destrói implacavelmente com suas pestes avassaladoras. Apesar disso tudo é o orixá médico que protege e cura aos que o procuram com fé, amor e humildade.

A linha dos Pretos velhos, como a de todos médicos do astral está sob sua regência.

Elemento : Terra

Príncipio: Trabalho

Sistema: Muscular

Qualidade: Transformação da matéria no tempo. Química orgância/Inorgância.

Característica: Captação

Cor – Preto e Branco

Sincretismo – São Lázaro

Saudação – Atôtô Obaluaiê ( Atotô Ajuberô [desdobramento em Omolu] )

Domínio – Cemitério

Data comemorativa – 16 Agosto

Pretos-Velhos e Pretas Velhas

A Linha de Pretos Velhos Na Umbanda é regida pelo mistério Ancião, na força do Orixá Obaluaê que é o Orixá sustentador da evolução, da transmutação e transformação do ser.

Preto-Velhos são entidades sábias da Umbanda
que um dia viveram como nós e hoje nos ensinam a humildade e a generosidade. Eram escravos negros que se tornaram espíritos evoluídos e hoje ajudam todos aqueles que os procuram.

Estar diante de um Preto-Velho ou de uma Preta-Velha nos dá a sensação de paz, são inspiração de sabedoria, com seus conselhos sempre ponderados e acolhedores.

Quando falamos de Pretos-Velhos ou Pretas-
Velhas, temos a noção de negros encurvados, com cabelos brancos, fumando seus cachimbos e dando seus passes com terços, com arruda,
guiné e alecrim. Mas é importante ressaltar que
“velho”, na sabedoria africana, era aquele que
tinha muita experiência em algo apesar de sua
idade. Sendo assim, quando nos deparamos com um Preto-Velho na Umbanda, ele ou ela não são necessariamente velhos, mas possuidores de uma sabedoria ancestral. Portanto, Pretos-Velhos e
Pretas-Velhas são ancestrais que voltam como
espíritos para orientar quem está por aqui.

Saudação
Saravá os Pretos (as) Velhos (as)
Adorei as Almas!